Entrevistando o Grupo Teatro de Retalhos

Entrevistando o Grupo Teatro de Retalhos
Foto: Leonardo Silva

Dando inicio ao quadro de Entrevistas Semanais CULTURA EM DESTAQUE o Site ENFOQUE CULTURAL em parceria com a página INFORMATIVO DIVERSO resolveu abrir a série com o Coletivo TEATRO DE RETALHOS da cidade de Arcoverde, uma cidade que respira cultura e que tem uma diversidade cultural incrível. O escolhido para responder as nossas perguntas foi o ator, diretor, palhaço, pesquisador e cofundador do Teatro de Retalhos, Djaelton Quirino. Através de uma conversa muito proveitosa o nosso entrevistado apresentou-nos um pouco da história deste Grupo que leva o nome da cidade Portal do Sertão por onde passam. O site Enfoque Cultural vem desenvolvendo um trabalho de divulgação e valorização cultural da cidade de Buíque, Arcoverde e Região.

EC: HÁ QUANTO TEMPO EXISTE O TEATRO DE RETALHOS? DE QUEM PARTIU A IDEIA?

TEATRO DE RETALHOS (DJAELTON QUIRINO): O Teatro de Retalhos tem 11 anos, completará 12 em março de 2020. O surgimento do grupo foi algo muito espontâneo. Alguns alunos do curso de teatro do Sesc Arcoverde, juntamente com o então professor de teatro e primeiro diretor do grupo Edes di Oliveira, decidiram ir além das aulas e montar um espetáculo, O Despertar da Primavera, convidando pessoas que vinham de outras formações para integrar o espetáculo. Posteriormente com a necessidade de nomear o grupo para se participar de uma mostra de cenas curtas na cidade de Buíque, oficializamos o coletivo. Partindo dessa diversidade de origens dos componentes e da ideologia de cada um trazer algo para somar ao coletivo surgiu o nome Teatro de Retalhos.

EC: COMO É QUE VOCÊS DEFINEM O TEATRO DE RETALHOS? O QUE É CONCEITUALMENTE, ARTISTICAMENTE?

TEATRO DE RETALHOS (DJAELTON QUIRINO): Conceitualmente somos as somas das experiências e desejos dos integrantes, unidos ao que cada coletivo ou artista que conhecemos nos trazem como influência. Alimentamos essa ideia de colcha de Retalhos em que sempre é possível somar algo novo

 e estar abertos a novas pessoas e experimentações. Nossa linha de trabalho segue o mesmo. Não temos uma linha rígida de pesquisa, ampliamos as nossas bases. Apesar de termos pesquisa sólida sobre o teatro do oprimido e mais recentemente estarmos envoltos na pesquisa das máscaras, em que se incluem a máscara do palhaço.

EC: VOCÊS JÁ CONSTRUÍRAM UM REPERTÓRIO DE QUANTOS ESPETÁCULOS? QUAL FOI O PRIMEIRO?

TEATRO DE RETALHOS (DJAELTON QUIRINO): O primeiro espetáculo do coletivo foi O Despertar da Primavera, seguidos de Revolta no país dos Retalhos, espetáculo que ficou mais tempo em repertório, sete anos ao todo, Romeu e Julieta – igual ao outro só que diferente, Aquelas Coisas, A Máquina, Malassombros – Contos do além sertão e Espavento. No total sete espetáculos, além de várias cenas curtas e dois curtas-metragens.

EC: EM RALAÇÃO A QUANTIDADE DE INTEGRANTES, QUANTOS FAZEM PARTE DO COLETIVO?

TEATRO DE RETALHOS (DJAELTON QUIRINO): Essa é uma boa pergunta, (risos), partindo da ideologia que falei, somos bem abertos a que as pessoas contribuam para os processos do grupo mesmo que não estejam em todos ou todo o tempo. Hoje temos colaborando direta ou indiretamente com nossos processos: Alex Pessoa, Adriano Galvão, Carol Viana, Éder Lopes, Ênio Felipe, Isabelly Torres, Tocha Ribeiro, Tiago Henrique, Auricélia Siqueira, Rogério Xavier, Odílía Nunes, Robson Lima e eu (Djaelton Quirino). E hoje temos a parceria de três músicos no projeto Riso Interior, Diego Souza, Felipe Anderson e o Maestro Eduardo Espinhara.

EC: ONDE SE LOCALIZA A SEDE DO TEATRO DE RETALHOS?

TEATRO DE RETALHOS (DJAELTON QUIRINO): A sede do Teatro de Retalhos desde 2015 é na Estação da Cultura. Localizada no prédio da antiga estação ferroviária de Arcoverde. A Estação da Cultura é uma ocupação organizada que já dura 18 anos. E é um orgulho imenso fazer parte dessa história, inclusive como parte do corpo gestor da Associação Estação da Cultura.

EC: TODOS OS INTEGRANTES DO COLETIVO SÃO RESIDENTES NA CIDADE ARCOVERDE?

TEATRO DE RETALHOS (DJAELTON QUIRINO): Quase todos Exceto Odília Nunes que mora em Ingazeira, sertão do Pajeú e Rogério Xavier mora em Pesqueira, no agreste.

EC: QUAIS OS PRINCIPAIS AUTORES TRABALHADOS PELO COLETIVO?

TEATRO DE RETALHOS (DJAELTON QUIRINO): No início trabalhamos com grandes dramaturgos como Augusto Boal, mas recentemente começamos a pesquisar a escrita dramatúrgica e produzir nossos próprios textos, como o caso de Malassombros, Aquelas Coisas e Romeu e Julieta – Igual ao outro só que diferente.

EC: EXISTE UM PÚBLICO ESPECIFICO OU TODAS AS IDADES SÃO CONTEMPLADAS?

TEATRO DE RETALHOS (DJAELTON QUIRINO): Temos a alegria de ter um público bem diverso. Provavelmente pela diversidade dos temas abordados nos espetáculos. Recentemente encontramos uma ligação especial com o público infantil e idoso e as pessoas que residem nas pequenas cidades.

EC: O COLETIVO JÁ REALIZOU ALGUMA APRESENTAÇÃO FORA DO PAÍS? ONDE?

TEATRO DE RETALHOS (DJAELTON QUIRINO): Ainda não tivemos essa experiência. Nossas apresentações em outras regiões do país, em sua maior parte, surgiram de ligações com outros coletivos e artistas com quem encontramos afinidade, poética e afetiva. Buscamos criar laços com esses lugares, como acontece com Minas Gerais e São Paulo. Como não nos relacionamos ainda com pessoas de outros países, ainda não tivemos esta experiência.

EC: NO CENÁRIO NACIONAL, ALÉM DE ARCOVERDE QUAIS CIDADES JÁ RECEBERAM APRESENTAÇÕES DO COLETIVO?

TEATRO DE RETALHOS (DJAELTON QUIRINO): Estivemos em todas as regiões de Pernambuco, inclusive temos uma relação desde o início do coletivo com a cidade de Buíque. Também já estivemos em cidades nos estados do Ceará, Maranhão, Paraíba, Alagoas, Espírito Santo, São Paulo e Minas Gerais,

EC: JÁ RECEBEU OU RECEBE ALGUM TIPO DE APOIO DE INSTITUIÇÕES PUBLICAS E PRIVADAS DE ARCOVERDE OU OUTRA CIDADE?

TEATRO DE RETALHOS (DJAELTON QUIRINO): O grupo é independente e não possui nenhum patrocínio fixo. Os apoios acontecem ocasionalmente e são diversos. Atualmente o grupo possui fomento de projetos, de forma pontual, pela Fundarpe e da fundação nacional de artes – Funarte.

EC: O COLETIVO JÁ TRABALHOU COM ALGUM TIPO DE OFICINA? QUAIS?

TEATRO DE RETALHOS (DJAELTON QUIRINO): Sim, o grupo tem oficinas com os temas: Sensibilização para o teatro, Que palhaçada é essa? – Oficina de palhaçaria, Simbologia para a cena e Narrativa para a cena.

EC: DESCREVA ALGUNS DETALHES SOBRE A PRODUÇÃO AUDIOVISUAL “D-20 VERMELHA”?

TEATRO DE RETALHOS (DJAELTON QUIRINO): D-20 Vermelha tem sido uma grata alegria. O filme surgiu de uma história vivida por Tiago Henrique que juntamente com Carol Viana elaboraram o roteiro. O projeto foi contemplado pelo Funcultura e firmamos parceria com a Pajeú filmes, produtora da cidade de Afogados da Ingazeira que logo se tornou nossa parceira. O filme foi rodado nas áreas rurais de Buíque e Pesqueira, e teve sua estreia em novembro de 2019. Agora vamos começar o processo de distribuição do filme em parceria com a Tarrafa distribuidora.

EC: QUAL O MOMENTO MAIS MARCANTE NA TRAJETÓRIA DO COLETIVO TEATRO DE RETALHOS?

TEATRO DE RETALHOS (DJAELTON QUIRINO): Nossa, essa é difícil! Foram muitos momentos marcantes, mas acho que o maior foi quando fixamos sede na Estação da Cultura, em um espaço que sofreu um incêndio e não tinha telhado nem porta. Reformamos com esforço e recursos próprios e hoje é nosso lar.

EC: QUAL FOI A MAIOR FRUSTRAÇÃO?

TEATRO DE RETALHOS (DJAELTON QUIRINO): Quando perdemos o direito de continuar apresentando o espetáculo A Máquina, no momento em que íamos circular por São Paulo.

EC: CITE ALGUMA OUTRA AÇÃO OU ATIVIDADE QUE O COLETIVO DESENVOLVE E QUE NÃO FOI PERGUNTADO?

TEATRO DE RETALHOS (DJAELTON QUIRINO): Dois projetos que estamos bem felizes de estar realizando é o Riso Interior – Que é um projeto de circulação nas cidades pequenas e áreas rurais. Fazemos um cortejo com os palhaços, brincando, conversando com as pessoas e cantando pelas ruas e praças. E o festival Cena Interior que acontecerá em 2020, retomando a tradição de festivais de teatro na cidade de Arcoverde.

EC: O COLETIVO TEM ALGUM SITE OU BLOG? E NAS REDES SOCIAIS, ONDE PODEMOS ENCONTRAR O TEATRO DE RETALHOS?

TEATRO DE RETALHOS (DJAELTON QUIRINO): Temos. Nas redes sociais estamos como @teatroderetalhos, o site www.teatroderetalhos.com.br e o blog teatroderetalhosblog.wordpress.com.

EC: EXISTE ALGUMA PERGUNTA QUE VOCÊ GOSTARIA DE TER RESPONDIDO E NÃO FOI FEITA? SE SIM, QUAL?

TEATRO DE RETALHOS (DJAELTON QUIRINO): Sim, Gostaria de responder sobre territorialidade. Nossa relação com Arcoverde e o interior do estado vem se intensificando e acredito ser uma das nossas mais importantes bandeiras. A produção cultural e artística do interior, as parcerias, os intercâmbios e a força que esta produção tem, tem sido nosso foco. Aproveito para dizer a importância deste blog nesta afirmação. Precisamos nos ver, nos conhecer e assim nos fortalecer. Agradeço essa troca e essa abertura com o Enfoque Cultural. Grato.

Sobre o autor

Escritor e poeta comprometido com a disseminação da cultura e da arte nordestina.

Artigos Relacionados

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Traduzir »