Clubes Buiquenses: Sociedade Cultural e Esportiva de Buíque

Clubes Buiquenses: Sociedade Cultural e Esportiva de Buíque

Por: Prof. Jandilson

O glorioso Cultural Buiquense conseguia lotar o seu estádio Osório de França Galvão, Buíque vivia o auge do futebol de campo, onde os garotos do nosso município tinham um sonho de vestir essa honrosa camisa, a qual muitos buiquenses conseguiram vestir e alegrar os torcedores do nosso município, o futebol buiquense conseguira revelar grandes nomes para o futebol pernambucano e amador.

Com participação no campeonato Arcoverdense onde participavam as melhores equipes do Sertão e Agreste do Moxotó pernambucano e com 36 anos de existência, relata o presidente Vicente Francisco, o glorioso Cultural sagrou-se Campeão Regional de 1998 com um futebol empolgante que envolviam os torcedores que lotavam o Estádio Souto Maior em Arcoverde.

Sociedade Cultural e Esportiva de Buíque, Informativo Diverso, Enfoque CulturalCampeonato que dava direito ao campeão de participar da extinta 3º divisão do Pernambucano, tinha grandes jogadores buiquenses que eram destaques importantes para essas conquistas, Lila “o terror”, driblava e deixava os companheiros na cara do gol, grandes zagueiros, Negão das Cordas o Gaguinho, Claudio enfermeiro, volantes, Daia, Paçoca, Mauro Policial, Vuca, Saudoso Limão, jogadores buiquenses que fizeram histórias no futebol buiquense.

Em 1999 o glorioso disputa a 3º divisão do Pernambucano fazendo grandes partidas no comando do técnico Tadeu, porém não conseguiram chegar na reta final do pernambucano mais já tinham feito bonito no cenário futebolista, ainda no mesmo ano o Cultural sagra-se Bi Campeão Regional e os Buiquenses continuam a manter a tradição em grandes competições.

Em 2000, mais uma vez o glorioso vai disputar a extinta 3º divisão, num jogo empolgante em casa, estádio lotado, torcedores vibrantes, entre Cultural e Pesqueira o jogo termina em 1 a 1, jogando segundo jogo na casa do adversário termina com o mesmo placar jogo nervoso, a decisão da vaga vai para os pênaltis e o glorioso infelizmente é eliminado, equipe que teve 3 treinadores, Tadeu sendo substituído por major Bernardo e depois no decorrer da competição assume Isnar de Tupanatinga e termina a competição da 3º divisão. A equipe sente e fica com o 2º lugar do Arcoverdense de 2000.

A hegemonia continua com o máster sobre o comando do jovem treinador Thiago Cristovam, o glorioso Cultural em 2011 chega a ser Campeão com uma equipe limitada, time de guerreiros relata o presidente do Cultural Vicente Cristovam.

Em 2018 o Cultural Máster volta com uma equipe bem montada, um bom planejamento e consegue empolgar os torcedores com um futebol bonito e sagra-se Campeão Invicto que campanha e o jovem treinador, Thiago torna-se um dos maiores vencedores do máster a frente da Cultural de Buíque.

Já em 2019 a equipe buiquense perdeu nos pênaltis e não conseguiu seu objetivo final que era o título.

O presidente Vicente Francisco Cristovam está à frente da Sociedade Cultural e Esportiva do Buíque desde 1998 onde o mesmo assumiu em março do mesmo ano, tendo como vice-presidente, Thiago de Sousa Cristovam.

Fonte: Informativo Diverso

Sobre o autor

Escritor e poeta comprometido com a disseminação da cultura e da arte nordestina.

Artigos Relacionados

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Traduzir »